terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Boas festas.....amigos e poetas!!!

8 comentários:

Lylilyn@ disse...

Dando uma olhada em alguns blogs, aproveitei e vim no teu pra te visitar também, espero que a gente possa manter o contato.
Boas Festas,
Liz

lua prateada disse...

Minha lua desceu
Veio visitar seu povo
Ela veio desejar-te
Um Feliz ANO-NOVO!!!

A ti ela deseja
Saúde, paz e amor
Ao mundo...
Que cesse a dor!...

Beijinho prateado com carinho
SOL

efeneto disse...

“Voltarei quando puder cientes que irão esperar.
Claro, os amigos sempre esperam...
Então meus amigos, até...”
Foi aquilo que escrevi antes de sair. Agora escrevo…
Voltei…não sei por quanto tempo mas voltei.
Tenho pela frente um trabalho. Um árduo mas gratificante trabalho, que é fazer a visita que se impõe. Voltarei com o tempo que merece.

efeneto disse...

Sinto-me no lado oposto da palavra
diante de um posfácio por escrever
de um livro em branco
cheio de poemas indizíveis.
É como se estivesse no outro lado da alma
ou como se eu e ela fôssemos agora
e não antes nem depois
- e no entanto somos há tanto tempo –
num tempo sem tempo
nesta ponta do universo
onde nem sempre escrevemos Amor.
Garatujo palavras para quê
se belo é a música
e tudo o que me rodeia
Poesia para quê
se ela está aí... sem palavras.

Mas é com palavras que voltei
e com palavras lhe desejo um
óptimo fim de semana
na companhia de quem mais desejar.
Bom 2008

LuzdeLua disse...

Passando para desejar um ótimo 2008. Que seja muito feliz.
Bjs

efeneto disse...

A árvore esconde-se do vento
contra o muro
roído pelo tempo
cansado de sol.

As folhas escolhem o chão
secas de respirar
e a cal do muro
vive as horas
que a árvore lhe encosta.
A árvore e o muro
sabem da música do vento
e do respirar das pedras.
No frio do Inverno lhes desejo
Um quente fim-de-semana.
efeneto

Bom Ano amiga e estamos á espera da sua volta

efeneto disse...

Estes cardos de sol que me ferem
como sementes a rasgar a terra.
São espinhos impiedosos de rosas secas
que me coroam a pele.
Cercam-me as searas de pouco
e no chão das quatro da tarde
dançam fantasmas transparentes.
A sede é um tormento
neste mês de chuva e neve.
Seja com chuva ou neve,
Sol ou calor, que lhe desejo,
Um óptimo fim-de-semana.

Se pensa que eu desisto de cá vir está enganada...beijo.

efeneto disse...

Há palavras que possuem um som cavo, de buraco.
Outras que morrem, ou nunca existiram. Palavras fumo. Palavras névoa.
Há palavras que persistem e outras por inventar: palavras do nosso vocabulário íntimo, daquelas que nunca outros entenderão.
Palavras de água de silêncio, palavras sem medo nem linhas onde se escrevam.

É com palavras que lhe venho desejar um fim-de-semana cheio de sonhos e realidades,
Na companhia de quem lhe é mais querido.