sábado, 9 de fevereiro de 2008

....sem eu a largar...

Fonte: net (d'aires)

No embalo da morte senti o que prevejo em ti. A azia, que o pensamento me deixou, deixou-me azeda em espírito. Carácter a se encarcerar, para encontrar o pacifico no futuro que agora vejo. Nos teus ombros, choro o que prevejo e não desejo. O teu calar deixa-me o julgar dum teu sufoco, talvez até nem sentido. Sim, se calhar nem sentido. Fica junto de mim, com a mão erguida. Deixa-me sustê-la firmemente na minha, mesmo quando não posso, porque o meu tempo não pode fazer perecer… o poder fazer. Neste bambolear que sinto na vida sequiosa de ser esquizofrénica sinto que o dever me persegue, foge, entre as sombras que o céu me vai deixando, para o juízo final - cenário por mim congeminado e por vós sussurrado, para a preparação da alma, dizem-me vós. Mas digo-vos (sim, a vós!) a preparação nunca vem, mesmo depois do inegável, do inevitável se tornar um letargo, terrificante assombro para perdurar e passar a fazer parte de um novo registo no nosso trilho. A preparação não veio, não vem e não virá. Nunca virá. Apenas a lembrança do treino da preparação ficará. Apenas a lembrança do teu eu contido, retido, absorvido, sugado pela despersonificante doença. Não és doença, deixa-me que te diga. Eu sei. Não obstante, ela levou uma parcela de ti, mas o todo da parcela fica em ti e em mim.
Um brinde a ti, meu doce pai...que fiques, de mão na minha, sem eu a largar.

18 comentários:

efeneto disse...

A amizade é uma ave irrequieta
que tenho na garganta
É voo de cegonhas
ou de milhafres
Asas secretas e breves umas
nítidas e sem tempo outras
Assim sobrevoo os flancos da madrugada
me dispo dentro das palavras
plano num campo de estevas
e abraço o cheiro da maresia
Como ontem
deixo que uma cascata de desejo
de um fim de semana cheio de…amizade


"que fiques, de mão na minha, sem eu a não largar."

Palavras para quê...beijo de amizade. Força amiga.

efeneto disse...

"que fiques, de mão na minha, sem eu a não largar."

Só pela frase valeu a pena voltar. beijito de bom domingo

O Sentir dos sentidos disse...

Olá minha Querida Pensadora...

Texto forte, pesado...com expressões que só mesmo pessoas de conteúdo e consistência são capazes de elaborar.
Um pesimísmo recheado de realidade nua e crua...beirando ao desencanto.Me fez lembrar os escritos do Franz Kafka...e como podemos ver...existe beleza até mesmo onde o caos aparenta estar; Fecha o texto com doçura e encantamento...tirando o leitor da tensão descrita anteriormente...feito um beijo após um grito de dor.
Muito parabéns pela excelência do teu raciocínio lógico.
Gosto muito desta tua maneira de ser e escrever...desculpa não vir aqui com mais frequência...preciso reparar isto com urgência, pois não é sempre que encontramos textos desta natureza...o que eu também Adoro.

Obrigada minha linda, por sempre lembrar do meu canto...o que me é sempre uma honra.

Beijo,

Rafael Velasquez disse...

fico sem palavras para comentar o seu texto.´perder alguém e ainda estar com ela sem largar é lindo e ao mesmo tempo triste.


Janis é tudo de bom!!!

pessoa nenhuma disse...

felizmente o meu pai encontra-se com vida, mas há muito que abandonou o sorriso que a vida nos deixa quando a olhamos de frente. há muito que abandonou a esperança que nos impulsiona para um presente crente num amanhã melhor. há muito que recolhe suas mãos, não permitindo ser ajudado, no alcance das minhas. olho para si ao se afogar; estendo-lhe as mãos e ele, insistentemente, recolhe-as parecendo ser um desejo de um fim....mas quase no seu último folgo, grita por socorro.
encontra-se com vida, mas há muito que se esconde dela, por medo, talvez, que a vida vivida com doença o leve ao fim mais cedo do que pretenderia. mas a verdade, a verdade, é que assim, a doença conseguiu(conseguirá) pior: roubar uma vida não vivida.
quanto a mim, claramente triste por ele. óbvio!! mas uma amiga, que viveu pouco para mais ensinamentos, deixou-me a maior herança que poderia pretender: compreender que para enfrentar infortúnios é preciso tempo para me entristecer, mas dar muito mais espaço temporal para sorrirmos e rirmo-nos do resto que a vida nos vai deixando...temos é que ir estando atentos...não deixar escapar um sorriso, uma gargalhada sonora, um suspiro,de todo o resto (da vida)para este se tornar parte integrante de um todo importante.
obrigado!!amigos e poetas por vossas palavras...

pessoa nenhuma disse...

felizmente o meu pai encontra-se com vida, mas há muito que abandonou o sorriso que a vida nos deixa quando a olhamos de frente. há muito que abandonou a esperança que nos impulsiona para um presente crente num amanhã melhor. há muito que recolhe suas mãos, não permitindo ser ajudado, no alcance das minhas. olho para si ao se afogar; estendo-lhe as mãos e ele, insistentemente, recolhe-as parecendo ser um desejo de um fim....mas quase no seu último folgo, grita por socorro.
encontra-se com vida, mas há muito que se esconde dela, por medo, talvez, que a vida vivida com doença o leve ao fim mais cedo do que pretenderia. mas a verdade, a verdade, é que assim, a doença conseguiu(conseguirá) pior: roubar uma vida não vivida.
quanto a mim, claramente triste por ele. óbvio!! mas uma amiga, que viveu pouco para mais ensinamentos, deixou-me a maior herança que poderia pretender: compreender que para enfrentar infortúnios é preciso tempo para me entristecer, mas dar muito mais espaço temporal para sorrirmos e rirmo-nos do resto que a vida nos vai deixando...temos é que ir estando atentos...não deixar escapar um sorriso, uma gargalhada sonora, um suspiro,de todo o resto (da vida)para este se tornar parte integrante de um todo importante.
obrigado!!amigos e poetas por vossas palavras...

LuzdeLua disse...

Passando para agradecer a visita.
E desejar uma boa semana.
LuzdeLua/NaveganteDoAmor

lua prateada disse...

Amiga fico muito feliz por te ver aparecer...
Porém teu texto...forte e de revolta é bem triste e definido...Espero amiga que as forças não te deixem cair e que ai estejas sempre e, tambem podes sempre contar com minha mão...
Beijinho prateado com muito carinho
Sol

carla granja disse...

um belo texto que até fiquei arrepiada ao ler . amei
se kiseres passa por cá
bjo
carla granja

efeneto disse...

Hoje, não deveria ter acordado.
E começa a ser ridícula toda esta impossibilidade de opção.
Alguém nos perguntou se queríamos ter nascido?
A resposta agora também pouco interessa.
Mas hoje, eu deveria ter direito a dizer que não, não me apetece abrir os olhos e ver um qualquer pormenor magnífico, um qualquer momento raro.

Hoje nada me delicia e muito menos sacia.
Mas alguém me dá o direito de não ser eu por 24h?
De nascer para uma qualquer vontade maior longe deste corpo morto e fétido?

Devia poder dar-me esse direito, esse propósito.
Mas desde quando o que deve ser o é de facto?
Raras são as vezes e sempre pouco oportunas.


Então deixem-me dormir...E amanhã de manhã, ao primeiro raiar do sol, perguntem-me baixinho:

- " Então pequeno, sempre quer nascer hoje para o mundo? "

Quem sabe talvez assim, com jeitinho, se levante a força e se cerrem os punhos para a batalha constante da vida e para a guerra eterna que mora em nós.
Mas de certo nasceria novamente para lhe desejar um fim-de-semana com aquilo que mais deseja.

Até amanhã.

O Profeta disse...

olá querida amiga, já tinha saudades tuas, da tua rara sensibilidade...


A chama que explode na noite
Consumiu a palavra dispersa
As virtudes do som das águas
Ouvem-se na manhã que começa

No silêncio há tanto som, tanta emoção
Convido-te a sentir o meu silêncio total



Bom fim de semana


Doce beijo

Vieira Calado disse...

Amor filial, como antigamente.
Como deveria sempre ser.
Cumprimentos

simplesmente...eu* disse...

Mais uma vez me encontro sem inspiracao para deixar planar as palavras que se encontram encerradas dentro de mim... estou a escrever e nao sei que palavras vou deixar voar. Palavras, sempre palavras... mas por vezes as palavras nao sao o suficiente. Porque, assim como uma imagem vale por mil palavras, um simples gesto, por mais banal que possa parecer, pode fazer a diferenca de uma vida...

Bom fim de semana.

Assim deixo-te...

Simplesmente...um beijo carinhoso

efeneto disse...

Queria ter sido um príncipe
Desencantado de alguém
Queria uma paixão passageira
Um amor delinquente
A total desilusão do depois.
Queria ser o sonho frustrado
O homem errado
Queria não ser o alguém que conquista
Pela palavra bonita.
Queria apenas que o seu fim-de-semana
Fosse aquilo que sonha ser.

O Profeta disse...

Às vezes encontramos pessoas como tu na blogoesfera...com esta imensa forma de sentir humanidades...


Doce beijo

efeneto disse...

Perdi-me em mim
Onde sempre me procurei
Entre palavras e sentidos
Onde sempre me demorei
Entre versos feitos de cetim

Perdi-me em mim
No onde e no entre assim
No princípio, meio e fim
Perdi-me em mim...

Apenas me achei para lhe desejar
Bom fim-de-semana
Na companhia de quem ama...
Que pode ser, família, amigos
Não interessa

Cöllyßry disse...

Porque amanhã tambem Teu dia o é...

O da Mulher,meu doce beijo, hoje deixo...

Rafael Velasquez disse...

passei para ver as novidades.